terça-feira, novembro 30, 2004

O homem afinal está vivo!

|
Jorge Sampaio finalmente reagiu! Tal como o Sporting da sua predilecção, reagiu já um pouco tarde demais, mas entre reagir ou não reagir de todo, em relação a esta trupe de palhaços e malabaristas que ocupam S. Bento, Terreiro do Paço e afins, então que reaja pois... Ehehehe! Santana de volta para a Kapital, Bagão de volta para a Sé de Lisboa e Portas de volta para o Parque Eduardo VII, com Morais Sarmento a fazer um comeback no Casal! Ide todos em paz e não volteis mais!

segunda-feira, novembro 29, 2004

Já vão sendo horas, senhor Presidente

|
Carissímo Dr. Sampaio,
Desde já lamento tê-lo chamado "cabeça de lâmpada" e tê-lo acusado de ter menos capacidade de liderança que o sr. António Dias da Cunha, presidente do Sporting Club Portugal, agremiação desportiva da qual o senhor presidente é conhecido sócio. Contudo, estas desculpas só surtirão efeito se o senhor Presidente fizer o favor (não só a mim, mas também aos portugueses, especialmente os membros das classes baixas e médias) de demitir o primeiro-ministro (e restante governo) e dissolver o parlamento.
Senão façamos uma pequena resenha dos fatídicos acontecimentos que aconteceram desde o mês de Julho deste ano, altura em que o Marreta Santana Lopes tomou o poder:

O senhor Presidente tinha clamado a estabilidade, como a causa maior que o levou a pedir a Santana Lopes a formar governo. Será que os episódios atrás citados (e que são a ponta do iceberg), não serão suficientes para o senhor presidente pensar uma segunda vez, e dissolver o parlamento? E agora, o país vai sofrer mais, pois quando era tempo, ainda havia um político mais ou menos na capaz, na pessoa de Eduardo Ferro Rodrigues, que apesar de atrapalhação provocada pelo início da guerra no Iraque e pela prisão de Paulo Pedroso, vinha se revelando como um líder capaz para o país, derrotando o partido do poder nas eleições europeias. Agora resta-nos como líder da oposição, o Santana Lopes do PS, o trés charmant et plus rien Eng. José Sócrates. Mas pior que os que lá estão agora não deve fazer, pois ainda restam uma ou duas pessoas de valor no PS.

Tenha em consideração este meu pedido, senhor Presidente, por favor, a meu bem, a seu bem e a bem de todos os portugueses. Se o senhor gosta dos portugueses (aceito que seja díficil de engolir a malta de Canas de Senhorim...), então parta para a acção e demita este Governo!

Obrigado pela atenção

O Grande Líder Branquista

P.S. - Mesmo desempregado, é melhor assinar com pseudónimo, pois no estado em que as coisas estão, não convém abrir a boca...


sábado, novembro 27, 2004

Avante camaradas?

|
Está a decorrer este fim-de-semana , em Almada, o XVII do Partido Comunista Português (PCP), onde se vai processar a transição da liderança do Partido, de Carlos Carvalhas para Jerónimo de Sousa.
Esperemos para ver. Eu, honestamente, preferia ver Carvalho da Silva ou José Barata Moura à frente do Partido, mas o Comité Central, cioso da linha dura que prefere manter, decidiu escolher o "deputado-operário". Ao contrário de alguns, eu não predestino desde já a desaparecimento do PCP (mais depressa isso acontece ao CDS/PP, quando eles saírem da coligação, daqui a dois anos...), esperando para ver. Aliás, como frisou esse grande blogger que é Miguel Bordalo, vejam este artigo sobre a transição no PCP, resume um pouco as minhas expectativas.

O Candidato da Verdade (ou, se preferirem, The Manchurian Candidate)

|
Na quarta-feira, juntamente com os camaradas Mara e Miguel, fui ao cinema ver o filme O Candidato da Verdade, e ao contrário que achou o Dito Cujo, eu não me senti defraudado com o filme em questão.
Aliás, lendo o que o Dito Cujo escreveu sobre cinema, e pela reverência que fez ao Fahrenheit 9/11, estava à espera que ele também tivesse uma reacção positiva ao filme. Na minha modesta opinião, o que Jonathan Demme conseguiu fazer com este filme, foi tão ou mais poderoso que a propaganda imanente no filme de Michael Moore, pois consegue alertar com mais incisão (embora sobre a foram de ficção) para a problemática dos interesses económicos (sobretudo na área do armamento) na influência que têm sobre a presidência americana, reflectindo-se mais do que nunca na presidência de Bush Jr. . OK, a ideia de um microchip incorporado nos sobreviventes da missão que aparece no início do filme, é algo rebuscada, mas também nos dias de hoje, em que a informática e a engenharia dão passos de gigante, não é totalmente descabida. No que diz respeito aos bons ganharem sempre, facto de que o Dito Cujo se queixa, neste caso tinha mesmo de ser! Então se este filme é um veículo para a expressão das ideias políticas do realizador, então a mensagem final tem de ser esperança. Nunca se promove um produto que, à partida, se sabe que está estragado...
A nível de actores, Denzel (excelente nos close-ups), Meryl Streep (o perfeito exemplo de um animal político, é o monólogo em que ela se dirige aos membros do seu partido, para conseguir a eleição do seu filho para vice-presidente) e Liev Schreiber (muito bom como homem-autómato) estão muito bons, salientando-se ainda a presença de Jon Voight e Dean Stockwell.
Enfim, um bom filme, quer como entretenimento, quer como portador de uma mensagem importante. Vão vê-lo, se ainda não o fizeram.

quinta-feira, novembro 25, 2004

Deve ser para reeducação dos réus...

|
Casa Pia: juíza Ana Peres pede transferência do julgamento para o Tribunal de Monsanto

|

Para celebrar o início do julgamento do caso "Casa Pia"... Posted by Hello

terça-feira, novembro 23, 2004

|

O Pastor Clinton evangeliazndo as criancinhas... Posted by Hello

|

João Paulo no III Milénio! Posted by Hello

|

Liminar... Posted by Hello

segunda-feira, novembro 22, 2004

Com que então somos um país de panhonhas?!

|
Se isto se sucedesse em Portugal, ele já estava mas era no olho da rua...

domingo, novembro 21, 2004

|

Este boneco era um dos marcos da nossa infância. O cérebro de uma criança é tão inocente... Posted by Hello

Uma excepção à regra...

|
Ontem à noite estava a passar os olhos pelas "gordas" do NME, quando me deparei com a notícia de que o rapper Ol'Dirty Bastard (este sgajos têm uns nomes mesmo castiços...) tinha morrido, e a causa de morte foi "natural". É a primeira vez que ouço falar de um rapper que não morre com uma bala enfiada no corpo...

Ainda o Rali Casinos do Algarve

|
Quando ontem escrevi o post sobre a classificativa a que fui assistir, não sabia ainda os resultados. Pois bem, o vencedor foi Miguel Campos no 206 S1600 (fazendo assim um hat-trick de vitórias na ponta final do campeonato), sendo que este triunfo (e o terceiro lugar obtido por um Rui Madeira em crescendo de forma) não foi suficiente para a Peugeot almejar o título de marcas. Essa coroa foi para a Mitsubishi, muito por obra e mérito de Fernando Peres e, sobretudo, o "marafado" Ricardo Teodósio, que ficou em segundo, a 5.9 segundos do triunfo, e à frente do Peres, detentor de um carro superior. Armindo Araújo ficou-se pelo quarto lugar, mas o objectivo da Citroen era fazer quilómetros com o novo C2 1600 (ainda chegou a ganhar um troço).
Um reparo a um precedente que, na minha modesta opinião, é algo grave. Como tinha aqui escrito no post sobre a Super-Especial, Paulo Meireles bateu com o Polo S1600, tendo sido rebocado para o final do troço. Isto signifacria a desistência, não? Ele estava a receber ajuda do exterior... Mas eis que para meu espanto, quando estava a ver os primeiros carros a passar em Monchique 3, vejo dois Polos em vez de um. Ora como a equipa não inscreveu um carro para convidados (como os tóininhos da Skoda), só podia ser o Paulo Meireles (navegado pelo António Abreu). Ainda digo que devia ter ficado até ao fim da classificativa para se ver se o Renault 11 Turbo que tinha brecado na Spuer-Especial continuava em prova... Uns são mais que outros?
Uma outra observação vai na direcção da FPAK. A participação a nível oficial das marcas presentes no mercado nacional de automóveis devia ser acarinhada ao máximo pela FPAK, pois é este tipo de participação que valoriza o Campeonato. Actualmente correm a um nível mais ou menos oficial, quatro marcas e meia(Citroen, Peugeot, Renault, VW e a palhaçada da Skoda), mas quem ganhou o campeonato de marcas foi a Mitsubishi, que nem um centimo deu para os pilotos da "esquadrilha Lancer". Um pouco por respeito às marcas, que tal fazer o campeonato de marcas ao estilo do Mundial, em que cada marca se inscreve previamente, e no caso do Nacional, dois carros, com o melhor a pontuar (temos de ter em conta que no nosso país não abunda de sobremaneira para o desporto automóvel...). Até podia ser que semelhante jogada, pudesse convecer Ford e Suzuki a juntarem-se ao "circo" do Nacional de Ralis...
Para finalizar, parabens a Fernando Silva e ao seu espectacular Porsche, por terem conseguido amealhar a vitória no Nacional de Ralis para Clássicos, ao vencerem a prova e benficiarem da desistência do Triumph Dolomite de Ilderico Almeida ( eu bem pareceu estranho o Triumph estar em cima de um reboque, quando estava a chegar à zona das Caldas de Monchique...). Os que pontuam são aqueles que acabam...

sábado, novembro 20, 2004

A PEC8 (Monchique 3 para os amigos)

|
Mesmo tendo apanhado frio como há muito não me acontecia (ou seja, foi uma grande carga de frio...), ontem à noite, isso não me demoveu de ir assistir a um troço do Rali do Algarve deste ano. E assim foi, juntamente com o meu primo Gabriel, meti-me à estrada para ir assitistir à última passagem pela classificativa apelidada de Monchique.
Agora, não havia era necessidade do Clube Automóvel do Algarve andar a fazer alterações nos troços... Vai um gajo a pensar que o troço acaba logo atrás do restaurante Rouxinol, como há dois anos atrás, e não é que recuaram a tomada de tempo para uns 2.5 Km's atrás? Fartámo-nos de andar por aquela serra...
Felizmente não chegamos atrasados, mesmo com este contratempo, estando ainda a passar os carros "0". As melhores máquinas, vimo-las na recta seguinte ao salto da tomada de tempo (Armindo, Teodósio e Madeira os mais fixes a passar nesta zona), mas quando passaram as grandes máquinas e começaram a aparecer os primeiros carros dos troféus 206, Punto e C2, fomos para a zona onde estava a célula fotoeléctrica. E vimos que mais valia ter estado lá desde o início, pois os carros passavam dois palmos à frente do nosso nariz e ainda dava para ver o salto ser efectivado por alguns pilotos. Mais uma vez, aplausos para a malta do troféu 206, já que depressa e bem, não há a quem... Tambem gostei, isto ainda quando nos encontrávamos na recta, de ouvir um totó lisboeta da equipa Skoda/Galpenergia a dizer-me que um dos carros da sua escuderia tinha-se despistado. É, sinceramente, uma equipa para a qual eu não tenho muita paciência, já que estão a gastar dinheiro que poderia ser investido (e falando só em desporto automóvel...) em projectos mais ambiciosos que o pioneirismo de meia tabela que é ter um duas rodas motrizes com um motor turbodiesel a correr!
Ainda vi a 1ª metade dos "descamisados", não ficando de boca aberta com nenhum. Mas sobre a minha opinião em relação aos VSH (veículos sem homologação), falarei em post posterior.
Enfim, para o ano há mais, e espero estar lá para ver. Aliás, a julgar pelas promessas do ACP, para o ano há mais em dose dupla, pois o Rali de Portugal virá para o Portugal, e já correm rumores que o Sainz e o Markku Alen vêm cá correr...
P.S. - Ainda tenho de ver quem ganhou o rali...

A PEC1 (super-especial para os amigos)

|
Como prometido no post anterior, venho agora dar-vos conta das minhas impressões da super-especial que serviu de abertura ao Rali Casinos do Algarve, ontem no Parque de Feiras e Exposições desta cidade de Portimão.
Muito frio, climatologicamente (ca'ganda palavra) falando. Cheguei ao troço, cerca de meia-hora antes da partida do primeiro concorrente. De início não estava muito público, aumentando à medida que iam correndo os underdogs e começavam a aparecer os primeiros "decentes". Aliás, continuando na temática público, este ano a organização dispôs as zonas para espectadores de forma diferente, instalando duas bancadas que davam para a rotunda, já que este ano não se podia (com grande pena minha) ficar no seu (rotunda) limite para vê-los a passar. Eu este ano optei por ir para junto do portão de entrada de viaturas no recinto do Parque de Feiras e, verdade seja dita, estava em tanto ou mais perigo do que quando estava na rotunda. No local onde me encontrava, os concorrentes passavam duas vezes: quando vinham da rotunda, e quando acabavam o recinto interior do recinto de exposições e tinham que fazer uma direita a 90º graus. Ora, se algum desgraçado abusasse ou tivesse uma falha mecânica, eu e mais uns quantos tinhamos ido para o galheiro... Mas eu também não me importei, ficando ainda assim o reparo. A composição do público era bastante heterogénea, desde os habituais grunhos (com e sem tuning), monchiqueiros, malta dos carros (distinguem-se do pessoal do tuning por serem mais velhos, e a maior parte tem empregos ligados aos automóveis), malta "normal" e eu, claro.
A nível do espectáculo em si, divido a descrição pelos três campeonatos que passaram pelo alcatrão daquela zona.
No que diz respeito ao Nacional (os reis da Festa), nem falo dos pézudos que actuaram antes da malta dos troféus (até eu faria melhor que aqueles gajos, a sério), passo logo a estes. Os C2 do Challenge não dão espectáculo, e causaram-me estranheza pela sua pequenez, os Puntos fazem mais barulho que rendimento, mas o Rodrigo Ferreira, o Jorge Pinto, o Manuel Rolo (velhos são os trapos)e, especialmente, o Francisco Brites foram muito agradáveis de se ver, faltando por fim os 206 do troféu, que dentro das competições monomarca foram os mais fixes (aplausos para o António Rodrigues e para o Bruno Magalhães).
No que diz respeito aos grupos N, foram mais os ráteres do que o espectáculo, salvando-se o vencedor do prémio É disto que o meu povo gosta, o algarvio Ricardo Teodósio, rápido e eficaz, mesmo com as suas espectaculares atravessadelas no Lancer Evo VII.
Por fim, os S1600 (Skodas não incluídos, aliás nem deviam participar, são um despedício de patrocínios). O Teodósio mais novo, Vitor, mostrou que é irmão de Ricardo, ao ser o S1600 mais espectacular. Nesta categoria, viu-se os pilotos mais rápidos e eficazes (passavam como flechas e não se atravessavam...), com destaque para o campeão Armindo, o ex-campeão Campos e o Meireles mais novo. O Meireles mais velho foi digno de ser u dos Meireles do Gato Fedorento, ao vencer o prémio Pézudo da Noite, cometendo o brilhantismo de bater na rotunda, e acabar logo aí o rali.
Sobre os venerandos da noite (os clássicos), estava à espera de mais por parte da brigada dos Escort, sendo o único momento alto, a passagem de Fernando Silva com o seu Porsche 911 Carrera RS, um deleite para a vista e para os ouvidos.
Em relação ao último campeonato em lida, o Regional Sul (ou descamisados, como preferirerm), estava tanto frio, que só aguentei ver metade do pelotão. Deu para ver um Renault 11 Turbo desistir em pleno troço, e ver três pézudos a fazerem têtes na entrada do parque de estacionamento (1º metade da PEC). Gostei do carácter irrepreensivel das actuações de Jorge Baptista (tás contente Vanda?) em Peugeot 205 GTi, e de Viana Martins em Opel Kadett GSI, e da passagem dos dois BMW's e do Escort RS.
A ver se esta tarde vou à ultima passagem pelo troço de Monchique. Depois faço aqui conta das minhas impressões. P.S. - Em qualquer sítio que eu esteja, cometo sempre uma gaffe. É mais forte do que eu... Sem querer (claro), disse a uma monchiqueira dos 35 anos, que tinha 50, ao explicar-lhe que os clássicos (que vão até 1974) eram do tempo em que ela era jovem...

sexta-feira, novembro 19, 2004

|

Tem lugar hoje e amanhã o Rali Casinos do Algarve'04, pontuável para o Nacional de Ralis, Nacional de Ralis Clássicos e Regional de Ralis - Sul. Daqui a uma hora, espero estar no Parque de Feiras e Exposições cá do burgo, onde vai ter lugar a Super-Especial que vai dar arranque a este Rali. Balanço final para "postar" depois aqui no Água em Pó. Posted by Hello

Lembrem-se da taxa de iliteracia

|
?Concorda com a Carta de Direitos Fundamentais, a regra das votações por maioria qualificada e o novo quadro institucional da União Europeia, nos termos constantes da Constituição para a Europa?"
É por estas e por outras, que a malta não gosta de ir votar! Vai-se para o cubículo com o boletim de voto e depois depara-se esta espécie de problema de matemática... Mais a sério, PSD e PS uniram-se para fazer mais um referendo cujo resultado não vai ferir suscetibilidades (o não da regionalização livrou a politicama de andar a distribuir poder pelas regiões, e o não do aborto serviu para não abespinhar a santa madre igreja, tão queridas de Guterres e Marcelo, os líderes dos dois partidos em questão na altura).
Está bom de ver que podia-se muito bem dividir a pergunta em três, ou pura simplesmente, "concorda com a implantação da Constituição Europeia?". Assim era irmos directos ao assunto, não havendo (acho eu) aqui muitos subterfúgios à questão, já que estamos a ser directos, não? É que convém lembrar que o português da Maioria (ou seja, aqueles que se tão a c... para a política), não lidam quotidianamente com este tipo de linguajar, preferindo nem sequer votar.
Será que fica bem a um país democrático, apresentar abstenções de 65%?

quinta-feira, novembro 18, 2004

Portugal e o Desporto

|
No comentário à foto do Sebastien Loeb, o camarada Manuel lembrou a possibilidade do Rali de Portugal voltar ao Mundial da especialidade, realizando-se quase a 100% em terras algarvias. Como ainda não tinha mencionado tal, aqui neste vosso blog, aproveito agora a dica.
Para já, há que saudar um esforço realmente a sério do ACP para fazer regressar o Mundial ao nosso país. Esse esforço é notório pelo "pecado" em termos de pureza da memória do rali de Portugal, isto é, os míticos troços de Fafe, Ponte de Lima e Arganil desaparecerão para dar lugar a um percurso de rondas, localizado na serra algarvia, tudo em favor de uma maior facilidade logística (contenção de despesas, para leigos), hoje em dia muito importante para o Mundial de Ralis. De notar que no Algarve a oferta hoteleira é muito superior ao norte e ao centro do país, além de que a probabilidade dos locais falarem pelo menos uma língua estrangeira é maior.
Agora é só esperar que o Estado dê o seu contributo para que esta prova se efective (e por muitos anos), até porque termos um etapa de um Mundial televisionado para todos os países do mundo dito civilizado, garante uma certa projecção para o país (e até o ideal para este Governo, que é composto só de show-off ). Se realizámos um Europeu de futebol e queríamos organizar a próxima America's Cup em vela, porque não antes dar uns cobres a menos, valorizar uma região interior e garantir uma exposição permanente para o país? Será os que os ralis darão votos?
P.S. - Só uma pequena constatação. Porque é que, em qualquer prova que se queira trazer do estrangeiro, os senhores da FPAK e do ACP têm sempre que ir chatear o Domingos Piedade? O homem tem sido o último garante de alguma projecção nas altas esferas decisórias do automobilismo mundial, por parte de Portugal, e ninguém repara que se devia criar mais um lobby nessas instancias, nem que fosse o Vasconcelos Tavares a ligar-se a um movimento de oposição ao Max Mosley. Isto é prova de que somos um país de bananas; é preciso um gajo, que ainda vive na Alemanha, puxar pelo automobilismo nacional, pois os portugueses "nativos" entretê-se com politiquices e inacção (e quando optam pela acção, a noção de realidade não é muita...)

terça-feira, novembro 16, 2004

|

Sebastien Loeb/Daniel Elena (aqui numa foto antiga), Citroen Xsara WRc, Campeões do mundo de ralis 2004 Posted by Hello

|

O último presidente macho dos EUA... Posted by Hello

Como é que a bola tem sido chutada

|
Decorridas que estão as primeiras 10 jornadas da SuperLiga, já se pode fazer algumas considerações.
O Porto continua a ser a equipa dominante, mas perdeu metade do carisma e da consistência com a saída de elemetos-chave como Mourinho, R. Carvalho, P. Ferreira ou Deco. O velho Trapaglioni não desfez o bom trabalho de Camacho, embora pinte um pouco o Benfica com uma pincelada defensiva. E o Sporting. Claro, o Sporting. Estamos cá par anos rirmos, não é?
No que diz respeito aos pequeninos, o que dizer de um clube que tem sempre os salários em atraso ( o V. Setúbal) a ocupar o 3º lugar do campeonato a 2 pontos do líder? Junte-se ao Setúbal, outros dois treinadores da "nova" geração, Carvalhal e Mariano Barreto, que têm vindo a realizar um muito bom trabalho com os seus clubes, Belenenses e Marítimo respectivamente. Não esquecer os trogloditas do Bessa...
Lá para baixo, assisite-se á progressiva decadencia do V. Guimarães (nem mesmo com metade do Moreirense aquilo vai ao lugar) e da decisão tardia do Gil Vicente em ter despedido Luis Campos, quiçá o pior treinador português que passou pela SuperLiga nos últimos anos.

quarta-feira, novembro 10, 2004

|

Há rumores de que o Durão vai substituir o Buttiglione pelo Portas... Posted by Hello

Portugal é surdo

|
Eu espanto-me como é que a crise avançou sobre todos e quaisquer meandros da vida portuguesa. Então não é que até a impagável música pimba está a ficar para trás? Digo isto, porque, ao que parece (isto é baseado em fontes orais e alguma imprensa, pois há muito que deixei de ver o Top+ ou ouvir rádios socialmente correctas), uns moldavos que emigraram para a Roménia, estão a fazer um êxito do caraças através de uma musiquinha com uma melodia tremendamente medíocre, uma letra que ninguém percebe, juntando-se a ainda a isto tudo, o facto de terem uma imagem algo engayzada (mas também, como podemos ver pelos "nossos" imigrantes de leste, o sentido de moda da malta dos Cárpatos é algo dúbio para os nossos padrões). O povo português é muito estranho (ou então completamente burro...).
P.S. - É por estas e por outras que eu coloca aquelas listas de músicas para sacar, neste vosso humilde blog...

Um lutador por excelência

|
Muitas vezes, quando nas reuniões de família a conversa dava para a situação internacional, uma das coisas que vinha sempre à baila era a questão sobre a maneira como nós lidamos com o mundo islâmico, sendo quase sempre destacado o conflicto israelo-árabe. Ora quando era para opinar sobre Yasser Arafat, notava (ou melhor, noto agora...) que os meu pais e os meus tios tinham as mentes toldadas pela indexação à política ocidental-americana, propalada pelo media nos primeiros anos da democracia portuguesa, ficando com a ideia de que Israel é que era o bom da fita, e os árabes uns selvagens, referindo-se a Arafat como o "terrorista do lenço na cabeça".
Eu ia crescendo a ouvir estas (e outras) opiniões sobre esta questão do conflicto israelo-
árabe, e dediquei-me a procurar informação por conta própria. E o que vim a perceber, é que, a haver maus nesta história, esses seriam os israelitas e o mundo ocidental, por terem inventado um estado fantoche, legitimado no sempre dúbio direito histórico, empurrando o povo palestino para a marginalidade (em termos de reconhecimento internacional, claro está).
Se aos israelitas foi permitida a constituição de um exército, os palestinos não podiam responder, nem que fosse com pedras, ao invasor da sua casa?
É aqui que entra Yasser Arafat. Sob a sua liderança o povo palestino reuniu-se contra o invasor sionista, instigando a acção armada numa primeira fase, é certo, mas procurando depois meios de resolver o conflicto pela via pacífica, esforços esses que culminaram com os acordos de Oslo, assinados com esse outro mártir que foi Ytzhak Rabin.
Digo outro mártir, porque Arafat também é um mártir da luta palestina. Apesar de ainda estar vivo, o líder palestino está por horas devido à seu estado de saúde , causado pelo seu confinamento prolongado ao espaço da Mukata, em Ramallah, donde sofreu os mais variados bombardeamentos por parte de a única força de terrorismo de Estado existente no mundo, as forças armadas israelitas. Três anos e meio confinados a um espaço exíguo e nas mais mínimas condições afecta a saúde de qualquer um. Mas se ele ousasse sair da Mukata, os israelitas tratavam-lhe da saúde...
A maneira como se está a prender à vida é exemplo do resistente que foi, e acho bem que os lideres palestinos e Souha Arafat não desliguem o suporte vital do líder, para que este deixe um último exemplo de luta e resistência.

terça-feira, novembro 09, 2004

|

Não têm filme para ver esta noite? Então corram já para o clube de vídeo para requisitar o excelso "A Vida de Brian" dos génios Monty Python. Opiniões pós-filme na caixa de comentários, s.f.f. Posted by Hello

|

Viver no campo é lixado. Este é o meu Nicolau, morto há dois meses por um cabrão de um velho que deixou veneno para cães, aqui nas redondezas.  Posted by Hello

sexta-feira, novembro 05, 2004

Comeback

|
Depois de algum tempo de inacção, volta à labuta o Algarve Independente, projecto que ajudei a fundar, mas que a minha proverbial preguiça tem encarregado de fazer com que colabore regularmente. Mas graças à acção do Homem da Coca-Cola, voltou à acção no espaço bloguístico. Vão lá espreitar.

10 bandas e músicos para NÃO sacarem

|

SIm, falta cá muita gente...


Lixo televisivo

|
Com um título destes, este post seria menino para se estender por uma enorme quantidade de linhas, mas, apesar de ser tentador desabafar sobre a porcaria que grassa na TV portuguesa, venho só mencionar algo que notei há bocado.
Aí há coisa de uma hora, estava eu lanchando na cozinha da minha humilde casinha, estando a TV ligada no canal de Carnaxide, debitando a acção de uma telenovela denominada O Jogo. Aqui este vosso escriba já tinha visto publicidade a este programa mas nunca tinha visto nenhuma passagem. E fiquei admirado. Então não é que os nababos (estava à procura de utilisar esta palavra...) da SIC puseram como protagonista, o Ricardo Carriço? O homem é o gajo com mais tiques e demonstrações de início de epilepsia no universo da representação em Portugal. O gajo pensa que é engatatão, e põe-se a falar com aquela linguagem de menino da linha que está a tentar dar a volta à mulher a dias búlgara, que os papás têm no seu casarão. Mas não é tudo. O Jogo também tem a Madalena Brandão, uma dessas flatulências das artes de palco que a TVI fez o "favor" de lançar para o "estrelato". Quando é que a malta da TV aprende que os meninos da linha não são sinónimo de bons actores. Aliás, a linha de Cascais/Estoril também é responsável pelos Delfins... Só para finalizar este meu relato do choque que passei, queria ainda mencionar que há um novo candidato a pior actor português, no caso um jovem que faz de repórter do Voz de Alcácer, tendo um estilo tão monocórdico-chato, que faz com o José Carlos Pereira, ao pé desta "revelação", possa ser considerado o Lawrence Olivier português...
Moral da história: Mesmo contando com bons actores como Nicolau Breyner, Lia Gama, Vitor de Sousa ou Rogério Samora, não percam tempo a ver esta telenovela. Façam desporto, leiam, ouçam boa música (os Delfins não se incluem nesta categoria), criem um blog... Simplesmente, não vejam é esta telenovela!

|
Só para concluir o post anterior, mencionar a questão do desemprego. Já viram que o bi-campeão Gronholm, o novel campeão Loeb, o fiável Rovanpera e a promessa Robert de repente ficaram no desemprego? A Ford e a Subaru não chegam para todos, e a Mitsubishi e a Skoda ainda não apelam ninguém,,, Posted by Hello

|

Até já os Marroquinos fazem super desportivos (na foto o Laraki Fulgura)

terça-feira, novembro 02, 2004

|

Será que é desta que consigo enfiar uma imagem no raio do blog? Posted by Hello

segunda-feira, novembro 01, 2004

5 músicas para sacarem: Especial Australia

|


Eles já descobriram

|
"Was the charming Portuguese, so fluent in so many languages, proving to be politically inept?" . Se formos a ver, vivemos uma época histórica: depois de anos e anos a recebermos os restos da Europa, agora também enviamos os nossos para a União Europeia...

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com