domingo, maio 29, 2005

A/C UNESCO

|
Jorge Máximo a Património da Humanidade

Uma pequena experiência

|
Vão à busca de imagens do Google, e escrevam a palavra cagalhao. Assim mesmo, sem o til. E depois verão como o resultado é adequado.

sábado, maio 28, 2005

Which Southpark character am I?

|
cartman Cartman Which South Park Character Are You?

Manuel João Vieira daily quote

|
Deus chama-se Zé.

sexta-feira, maio 27, 2005

Déficit cinéfilo

|
Destes 100, só vi 12! Mas já agora, qual é a credibilidade de uma lista dos melhores filmes de sempre que não inclui os filmes dos Monty Python ou a Laranja Mecânica?!

quinta-feira, maio 26, 2005

E agora alguma preocupação para a representação portuguesa no mundo da F1

|
Segundo o site da Renault F1, Franck Montagny irá ocupar o 3º Jordan na sessão de treinos de sexta-feira, do GP da Europa, a disputar este fim-de-semana no Nurburgring. Acontece que o português Tiago Monteiro, que é um dos pilotos titulares da equipa (o outro é o indiano Narain "Chamuça" Karthikeyan), poderá ter o seu lugar na equipa ameaçado com esta jogada.
E porquê? Porque as suas perfomances não têm sido brilhantes (apesar do carro não ajudar em nada), tendo sido batido regularmente pelo companheiro nos primeiros GPs da temporada, não contribuir tanto em termos financeiros quanto o Chamuça e, sobretudo, Bernie Ecclestone (o "patrão" da F1) ter dito que fazia falta um piloto francês no Mundial de F1, sobretudo agora que o interesse em França aumenta, depois dos bons resultados demonstrados pela Renault esta temporada.
Montagny poderá assim habituar-se ao carro e estar a 100% para o GP de França. Caberá a Tiago Monteiro evitar que o francês o ultrapasse nas sessões livres de sexta-feira (algo dificil, pois os set-ups são quase sempre diferentes, e o 3º piloto costuma rodar com um carro mais leve), e tentar que os Minardis não voltem a ultrapassá-lo, tal como fizeram na qualificação do Mónaco. Se isto acontecer, o lugar de Monteiro poderá estar seriamente ameaçado, pois como já foi dito atrás, ele contribui menos que o seu companheiro de equipa para o "bolo" orçamental da equipa.
Pode-se também dar o caso de esta ser uma manobra de charme por parte da direcção da Jordan em tentar garantir motores Renault para a época de 2006, agora que perderam a possibilidade de contarem com motores Ferrari ("raptados" à utlima da hora pela Red Bull). Montagny, sendo piloto de testes da Renault, seria como que uma das condições que a marca francesa colocaria à escuderia de Silverstone. Assim, pode-se dar o caso de Montagny só rodar às sextas até ao final da época (algo pouco provável) e ocupar um dos lugares titulares na próxima época. Não esquecer que o francês tem vindo a perder terreno dentro da escuderia francesa para o outro piloto de testes, o finlandês Heikki Kovalainen, que o tem suplantado nas sessões de testes até agora realizadas. A Renault nunca poderia abandonar o piloto francês com mais possibilidades de chegar à F1 (dificilmente Sebastien Bourdais virá dos Champ Cars para a Europa nos próximos tempos), sob pena de ser altamente criticada pela opinião pública francesa, aproveitando assim o expediente Jordan para se "livrar" de Montagny.
Run for your life, Tiago!...

Manuel João Vieira daily quote

|
"Neste estado de coisas, a única forma de pôr Portugal na frente é mudar o calendário e passá-lo para 2010"

As coisas boas do catolicismo

|
Hoje é feriado

quarta-feira, maio 25, 2005

"Tadinhos dos pobrezinhos..."

|
OK, é sempre de saudar a eleição de um português para um alto cargo mundial, e, nesse sentido, endereço aqui as minhas felicitações ao Guterres. Mas também já estou a imaginá-lo em Jenin ou Ramallah, virando-se para os refugiados e dizer-lhes: "Isto anda mal por cá, não anda? Enfim, é a vida, valha-nos Deus..."
P.S. - Será que o padre Malícias passará a ser o capelão da ONU?

Momento surrealista da tarde

|
Ia eu muito bem, andado pela rua, quando avisto quatro pessoas ao fundo da dita. Whatever. Mas espanto dos espantos quando me aproximo!
Moral da história: eram dois jovens mórmons (aka hélderes) americanos, brancos como a cal, discutindo a palavra do "senhor" com duas senhoras, bem entradas na idade, promotoras das Testemunhas de Jeová.
No fundo, fui um priveligiado. Assisti ao Freddie vs. Jason (ou Alien vs. Predator, se preferirem) do cristianismo...

segunda-feira, maio 23, 2005

OK, não é a informação mais actualizada, mas...

|
... já vos disse que o Benfica sagrou-se campeão?????!!!

domingo, maio 22, 2005

Alívio

|
O Portimonense fica na Liga de Honra!
P.S. - Um abraço ao camarada Chico . Eu estava a torcer para que descesse o Alverca, mas acabaram por ser despromovidos os flavienses a descer. Pode ser que para o ano voltem.

O tédio da eternidade (ou então não)

|
Já pensaram que há certos momentos, épocas, ocasiões, ao longo da história que vocês gostariam de ter presenciado, vivido, participado, evitado. Pessoalmente, depois desta manhã ter observado o anjo Damiel e o tédio que sentia pela condição eterna, com a consequente vontade de passar à condição terrena (despoletada pelo terreno desejo). Damiel gostaria de sentir como nós, ter palpabilidade das coisas, enquanto que muitos de nós gostariam de ter a vivência do anjo, para podermos observar de cima (a visão errada, chegou a essa conclusão Damiel, a verdadeira observação faz-se ao nível dos olhos dos outros) tudo o que nós, humanidade, fizemos, fazemos e poderemos vir a fazer. Se calhar não teria tanta necessidade de escape quanto Damiel, já que suporto a minha condição há muitíssimos poucos anos, enquanto que ele existe desde que há vida (daí o seu tédio...), mas gostaria de observar os marcos que nortearam o mundo de hoje, os grandes episódios da história (como Damiel vigiava Berlim, era um priveligiado(?) no que diz respeito a esse propósito), mesmo ficando só na minha pequena urbe. Se calhar nem eram precisos os grandes eventos da história, bastaria-me conhecer a Berlim Ocidental dos anos 80 (onde Damiel gritou em surdina o seu Basta!), a Londres dos swinging sixties, a New York de 75-78, a Paris dos anos 20, a Lisboa do PREC e da 2ª Guerra Mundial, Arles quando lá estavam Guaguin e Van Gogh ao mesmo tempo...
Não quero ser eterno, mas desejaria ter a percepção que Damiel e Cassiel podiam ter sobre todos nós.

sábado, maio 21, 2005

Hoje, o sol está demasiado radioso

|
A change of speed, a change of style. A change of scene, with no regrets, A chance to watch, admire the distance, Still occupied, though you forget. Different colours, different shades, Over each mistakes were made. I took the blame. Directionless so plain to see, A loaded gun won't set you free. So you say. We'll share a drink and step outside, An angry voice and one who cried, 'We'll give you everything and more, The strain's too much, can't take much more. 'Oh, I've walked on water, run through fire, Can't seem to feel it anymore. It was me, waiting for me, Hoping for something more, Me, seeing me this time, hoping for something else.

Manuel João Vieira daily quote

|
"É chegado o tempo de dizer: CHEGA! Para quando a atribuição de categoria olímpica à maratona de joelhos a Fátima? E o jogo do Berlinde? E o da Pedrada? Este tratamento discriminatório e escandaloso de um país que venceu sucessivamente milhares de torneios de matraquilhos sem receber um tostão dos comités olímpicos de hóquei em patinhos, bilhar de bolso e do jogo da moedinha, tem de acabar!"

Early morning post

|
É frustrante não termos obrigações a um sábado de manhã, e não se conseguir dormir para além das 07.50h ...

sexta-feira, maio 20, 2005

Água em Pó goes multicultural

|
Neste momento, estou a tentar ensinar o camarada Mohssin, marroquino de gema, a criar o seu próprio blog. Se conseguir concretizar a operação via MSN Messenger, logo-vos dou o link.

Ou porque às vezes tenho vontade de emigrar

|
Uma coisa: quem votou PSD ou PP, por alturas da eleição do cherne deve estar mesmo f*dido (partindo do princípio que não são indefectíveis dos partidos em questão). Depois de tanto frenesim com a história do défice, da pesada herança guterrista, das medidas draconianas, da venda à bruta de partimónio (mas o que não impedia a constante renovação das frotas ministeriais), dos raspanetes que Pedro Solbes nos mandava, com toda a UE a ouvir, eis que os laranjas e os azuis-bebé (a masculinidade é algo que ponho em dúvida num partido como o CDS) deixam a tralha guetrrista parte II com 7% de défice público.
E lembremo-nos de uma coisa. A UE já não vai em conversas de redução do défice com o aumento do crescimento económico, já que por alguma o défice cresceu... Também, não era um governo de direita que ia promover o desenvolvimento económico do país. Veja-se que só a Espanha é que conheceu algum sucesso debaixo de um governo de direita (infelizmente para alguns de nós, o Aznar conseguiu colocar a Espanha entre uma das potências europeias), já que pelo resto da Europa, outros governos "dextros" têm feito m*rda como a Itália de Berlusconi, Fini e Bossi (têm um défice a rondar também os 7%) ou a Dinamarca de Fogh Rasmussen que numa das democracias mais velhas da Europa, conseguiram destabilizar o sistema político. Moral da história: Freitas do Amaral vai perder metade da papada nas discussões que vai ter em Bruxelas...
A questão agora é: como andaremos para a frente? Por um lado temos de consumir, para continuar a manter o mercado vivo. Por outro, temos que poupar. Também temos de produzir, e aqui é que reside o grande busílis. O sector primário está completamente estrangulado pelas políticas da UE (sobretudo a pesca) e o desfasamento que os agricultores portugueses ainda têm em relação à práctica de uma agricultura moderna não ajuda, acrescentando-se ainda o decadente sector mineiro, que enfrenta o fim dos stocks e a ameaça de concorrentes terceiro-mundistas.
No que diz respeito a indústria, o têxtil está ferido de morte pelos países asiáticos (liderados pela China), e a indústria pesada está ameaçada pela fraca qualificação e salários altos, pelo menos em comparação com a concorrência de leste.
No sector dos serviços, pouco ou nada fazemos, já que nos faltou dar um salto tecnológico como a Irlanda, havendo muitos poucos de desenvolvimento no nosso país.
Muito se culpa o Estado, mas este não tem muita culpa, pois está tudo na mão de privados estrangeiros ou portugueses (o que é capaz de ser pior). falam mal das nacionalizações do PREC, mas essas teriam sido excelentes, se os portugueses não fossem tão portugueses a gerir empresas. assim só foram muito boas, porque o Cavaquismo e o Guterrismo (uma das formas mais portuguesas de fazer governo...) trataram de tapar buracos com as privatizações.
Desculpem lá, precisava de deitar isto para fora...

segunda-feira, maio 16, 2005

E-blitzkrieg

|
Acabo de abrir o meu e-mail e deparo-me com cerca de 41 (!!!!!!!) mensagens de spam alemão e/ou relacionado com a terra de Scumacher.
Mein got, onde terei andado eu por esta autobahn da informação!...

This doesn't sound good...

|
Bush diz que é altura de construir centrais nucleares nos Estados Unidos

Já agora, não querem levar o Veiga também?

|
Romantsev deixa Dínamo de Moscovo, Vítor Pontes pode suceder-lhe

África, Mãe África

|
Chamem-me paternalista, chamem-me racista, digam que tenho um sentido de humor extramente de mau gosto ou que não tenho respeito pelos mais desgraçados, mas eu adoro Kumba Ya'lá!! É verdade, admito, adoro ver e ouvir as suas acções. Além de que partilha comigo e com o Xanana (outro castiço) afinidade pelo Benfica. Quem é que não pode deixar de gostar de um chefe de estado que se apresenta com versão banta do francês barrete frígio, em cerimónias de Estado, com presença de dignatários estrangeiros? E que cuja última acção foi digna de um Pugatchev frente a Catarina II da Rússia? Giro, giro, foi esta manhã um alto responsável guineense dizer qualquer coisa como "porque é que têm medo do Kumba??!! Pá, não percebo, têm é que ter medo do Nino, pá! Esse é que é um perigo se voltar ao poder!" (foi mais ou menos o que ouvi hoje de manhã na Antena 1).
É por estas e por outros que gosto de ver os dirigentes africanos. Eles são muitas vezes perpetuadores de sistemas corruptos, nepotistas, chegando mesmo a atentar contra vida do seu povo. mas se formos a ver, fomos nós que destabilizámos todo o continente, para além de manietarmos constantemente os seus dirigentes, em virtude de nossos interesses (quando digo nossos, refiro-me ao mundo ocidental). Só assim se explicam Bokassa (o que se proclamou imperador da Republica Centro-Africana, gstando com as cerimónias de entronização, cerca de um terço do orçamento de Estado desse país, em 1977), Idi Amin (que, entre muitas coisas, foi responsável pela morte de cerca de 400.oo ugandeses seus concidadãos), Samora Machel (que conseguiu escangalhar o sistema tribal moçambicano através da introdução das aldeias comunais), Miguel Trovoada (aquele casaco sem nada por baixo devia por as são-tomenses loucas...), Nino Vieira (bonacheiramente corrupto), Sekou Touré, Daniel Arap Moi e outros que tais que têm uma aura montipytonesca à sua volta e dos seus actos, que só nos conseguem colocar um sorriso na cara. O argumento é nosso. Será que alguém terá força para reescrevê-lo?

domingo, maio 15, 2005

|
luisão

Os portugueses adoram fazer tudo à última da hora

|
Quatro dias após as eleições legislativas, Nobre Guedes e Telmo Correia aprovaram projecto turístico em reserva ecológica

sábado, maio 14, 2005

|

Luis Afonso tem sempre razão. 19.45 na SporTV (e mais não consigo dizer, há demasiada ansiedade no ar...)

sexta-feira, maio 13, 2005

Polémicas (VI)

|
Há funcionários públicos que até trabalham bem.

Polémicas (V)

|
A Irmã Lúcia teve uma aventura extra-jesual com o cardeal Cerejeira.

Polémicas (IV)

|
As Harley-Davidson só servem para fazer barulho

Polémicas (III)

|
Carolina Salgado tem um passado profissional duvidoso.

Polémicas (II)

|
Os Oasis são a banda mais sobrevalorizada de 1994 até aos nossos dias

Polémicas

|
Juan Pablo Montoya é pior que o Kimi Raikkonen

quinta-feira, maio 12, 2005

|
Piloto do dia: Stephane Peterhansel. Sobretudo para comemorar a nomeação de Lisboa como ponto de partida do próximo "Dakar", a mais importante prova mundial de todo-o-terreno.

terça-feira, maio 10, 2005

British humour

|
Para quem viu (ou leu sobre) o GP de Espanha em F1 que decorreu este fim-de-semana em Montmeló, leiam este delicioso excerto da crónica que "Eff One" escreveu aqui : "There were not many fans in red to chant at Ferrari and things were not going well for The Reds. There were rumours that Ferrari had actually got a pair of new drivers called Fred (the tall one) and Barney (his short pal) and the word was that the cars now feature Flintstone tyres. Yabba-dabba-do! As Michael Schumacher pulled out of the race with a second puncture (or a "loss of air" as they say in politically-correct press releases) in the space of two laps, I realised that the Spanish GP was taking place on May 8 and it was 60 years to the day since VE Day. A German had lost, let down by his Italian and Japanese allies."

Não tá mal pensado, não senhor

|
Sócrates aceita candidatura de Alegre

|

Piloto do dia: Nick Heidfeld. Porque hoje é o seu aniversário, e porque é tão discreto fora de psta que precisa que lhe façam a promoção toda. Sim, fora de pista, porque dentro dela, Quick Nick (como também é conhecido) é dos pilotos mais rápidos do plantel. 28 anos de idade completa hoje este nativo de Moechengladbach.

Day after

|
Rás'partam o Rodrigo Tello e o Manuel Machado!!!!!

segunda-feira, maio 09, 2005

|

Hoje, somos todos do Vitória!

|

Automóvel do dia: O Subaru Impreza (aqui na versão WRC). Este carro foi campeão do mundo de pilotos por três vezes (1995, 2001 e 2003) e de construtores por outras três vezes (1995, 96 e 97). A GNR-BT utiliza-o para caçar a malta do excesso de velocidade. É preciso dizer mais alguma coisa?... (Mais sugestões para este espaço, é favor utilizar a caixa de comentários)

|

Piloto do dia: Pedro Lamy, por ter almejado a sua terceira vitória nas 24 Horas de Nurburgring, uma das mais importantes provas de resistência mundiais, tendo sido acompanahdo no seu BMW M3 GTR oficial pelo americano Boris Said, o holandês Duncan Huisman e o inglês Andy Priaulx. Deixaram o 2º classificado a 5 voltas, numa prova marcada pela chuva!

domingo, maio 08, 2005

|

Piloto do dia: Kimi Raikkonen, pela esplêndida vitória obtida esta tarde no Gp de Espanha.

Serei o novo Mário Castrim?

|
Pegando ainda na temática da televisão, eu pergunto: porquê a transmissão da mesma missa por dois canais (RTP1 e TVI)? O canal de Queluz de Baixo tudo bem (já estamos habituados à má qualidade dos seus conteúdos), agora a TV pública? Mas quando é que a história de que o estado português é laico entra na RTP? É que se aprende mais com os programs de animaizinhos (padres não incluídos, claro) do que com as homílias que só servem para andar a propagandear as ideais da Igreja, um grupo social deveras conservador e completamente contra a corrente dos tempos que se vivem.
Mas prontos pá, o ministro da presidência ja trabalhou na TVI e é conhecido por ser um beato ferrenho...

Ainda o marketing presente na TV portuguesa

|
Pessoalmente, acho um pouco enfadonhos, do ponto vista do espectador, aqueles anúncios que se passam dentro de hipermercados e/ou praças de verdura e peixe, onde "promotores" de um determinado detergente para roupa (no caso, o Blanka) atiram coisas para cima de blusas de donas de casa, para depois lhes mostrarem a magnífica acção do excelso detergente. Mas, pensando bem, já viram o perigo deste tipo de markeitng directo dar resultado? E se os responsáveis por anti-inflamatórios como o Biofenac ou Nolotil, decidirem começar a esmurrar pessoas nas ruas só para poderem provar as virtudes dos seus produtos? Moral da história: não comprem Blanka!
E, aproveitando a boleia, porque não falar no novo cromo do Pingo Doce? José não-se-das-quantas é o responsável pelo pequeno-almoço nesta cadeia de supermercados do grupo Jerónimo Martins, e para promover uns cereiais que devem ser algo manhosos, veste um polo e vai para um court de ténis. Amigo José e responsáveis do marketing Pingodocense, para quê a elitização à volta do produto? Para quê o polo? Quem come cereais do Pingo Doce normalmente veste é um robe ranhoso ou uma t-shirt coçada (pode-se dar o caso dos noctívagos comerem-nos com uma toilette de noite impregnada de cheiro de tabaco e uma nódoa de imperial)! Para quê os courts de ténis? Essa modalidade ainda é encarada como pertencendo às elites (aliás os praticantes mais destacados em Portugal, quase sempre têm rostos que indicam a endogamia das classes altas portuguesas...). Quem come cereais do Pingo Doce, vai jogar à bola com os amigos no campo feita pela Junta de Freguesia, próximo do ponto central do bairro (ou quando muito fazem passeios de cicloturismo aos domingos de manhã)!
Confesso, não suporto a imagem de yuppização que querem fazer passar para o público. É que se o povo não é muito esperto, então fazer promessas de sucesso pessoal e empresarial, através da publicidade é perigoso.No fundo, é o aumentar da política de imagem e show-off que já rege muitas mentalidadezinhas portuguesas.
P.S. - Vocês devem estar a pensar: "Este gajo não gosta de nenhum anúncio, pá!". Nem de longe, um bom anúncio de televisão (ou rádio) é sempre agradável de ver. Ainda há pouco, quando tomava os meus cereais matinais (Chocapic e não do Pingo Doce...), revi o anúncio dos "Finíssimos" da Nobre. Esteticamente está um mimo, tem sentido de humor e consegue promover de forma positiva as características do produto (e não, não escrevi isto com o mindinho da mão direita espetado...).

sábado, maio 07, 2005

Sou um yuppie? Terei de começar a beber Actimel?

|
Cheguei a esta conclusão: aos 23 anos, com cerca de um ano e 8 meses de carreira profissional efectiva (fora part-times), já prefiro mil vezes conduzir o meu carro do que o dos meus pais.

|
O carro da foto é o herdeiro de uma das linhagens mais antigas e honrosas da indústria automóvel, começada em 1970. Falamos do Toyota Celica. Este faz parte da 8ª geração do modelo, embora aqueles que fiquem para a história são as 4 anteriores, todas elas vencedoras de provas e/ou mundiais de ralis. Foi o modelo que proporcionou glória a nomes como Sainz, Didier Auriol ou o grande Kankkunen.

sexta-feira, maio 06, 2005

|

Piloto do dia: Inverno Amaral. Algarvio, campeão nacional de ralis em 1987, com Renault 11 Turbo oficial. Pela foto, pode-se dizer que este era o António Variações dos ralis portugueses (embora Inverno continue vive...)!...

Um aviso ao Tiago Monteiro

|
Caro Tiaguinho, se não começas a esmerar as tuas performances com esse táxi amarelo que a tua equipa insiste em chamar de F1, olha o que te pode vir a acontecer. Não te esqueças que quem manda é o tio Bernie e o teu patrão (o Colin Kolles) é uma autêntica prostituta da FIA... Portanto, este fim-de-semana, tens que bater a todo o custo o Chamuça...

Inquérito subliminarmente enviado pelo INE a todos os blogs

|
Não podendo sair do Farenheit 451, que livro quererias ser? "O outono do patriarca" do G. Garcia Marquez. Já que sou o líder, ao menos que encarne um livro que possui um líder quase que ad aeternum. Sim, eu sei que não é um personagem muito "aconselhável... O "Mulheres" do Bukowski também seria uma boa forma de passar o tempo no Fahrenheit...

Post dedicado aos camaradas Andreia e Augusto

|
Mais vale uma boa travessa de caracóis ou berbigões, do que uma aula de body pump ou de hidroginástica.

quinta-feira, maio 05, 2005

Ahhhh!!!!

|
Seguindo o exemplo do camarada Chico, resolvi fazer o teste abaixo assinalado:
You Are Best Described By...
The Scream By Edvard Munch
What Famous Work of Art Are You?

Drama existencial

|
Porque é que praticamente todos os pescadores têm camisas aos quadrados?

quarta-feira, maio 04, 2005

Aviso

|
Hoje, por manifesta falta de tempo, não me foi possível dar seguimento às rubricas "Automóvel do dia" e "Piloto do dia". Já agora, e porque não foram precedidas de explicação quando foram lançadas, estas rubricas servem para vos iluminar sobre alguns protganistas do automobilismo nacional e internacional, passando pelas máquinas que marcam as nossas estradas e circuitos. Só para vos abrir os olhos para esse maravilhoso mundo das quatro rodas (não confundir com tunings e jipes de tios de Cascais).

Conhecendo os corpos dirigentes

|
No Pingo Doce, prefiro a responsável pela comida de cão à responsável pelo papel higénico.

terça-feira, maio 03, 2005

Próxima Estación: Esperanza

|
Telmo Correia deixou-me com esta dúvida: será que Cavaco tem chances de ganhar as presidenciais, continuando a fazer ronha sobre se sempre se candidata ou não? O bom do clone do Portas lixou-se. Seria tão bom que Cavaco lhe seguisse o modo de actuar, não seria?
    P.S. - Mas também, para pôr no poleiro de Belém, o beiçolas dos Guterres... Portugueses, pensem que Manuel Alegre já escreveu poemas ao Figo e ao Rui Costa!

    |
    Para carro do dia temos uma sugestão do camarada Homem da Coca-Cola, o Lancia 037 Rallye. Segundo ele, este é o carro mais bonito de sempre a pisar troços de ralis. Talvez esteja de acordo com ele, já que não me recordo assim de outro com um design tão apaixonante (excelente com a decoração Lancia Martini) Mas nem só de beleza viveu este carro. Logrou almejar também 6 vitórias no mundial de ralis, pelas mãos de Walter Rohrl (vice-campeão em 1983 com este carro) e Markku "Maximum Attack" Alen.

    |

    Pela primeira vez na rubrica "Piloto do dia", temos um português: Joaquim Moutinho. Este nortenho foi um dos grandes animadores do desporto automóvel nacional entre 1972 e 1986, divididindo-se entre a velocidade e os ralis, tendo como coroas de glória a conquista do campeonato nacional de velocidade (grupo 5, ao volante do Porsche Aurora) em 1981 e os campeonatos nacionais de ralis de 1985 e 1986. E só não o foi também em 1984, porque sabotaram a sua segunda passagem pelo troço de Monchique, do Rali do Algarve, última prova do "Naconal" desse ano. Moutinho estava em luta pelo título com Joaquim Santos, mas teve de desistir depois de um objecto cravado de pregos lhe ter furado os quatro pneus do Renault 5 Turbo Corse, obrigando-o a desistir e a entregar o título de bandeja para "Quim" Santos. Joaquim Moutinho foi também o penúltimo português a vencer o Rali de Portugal (o último foi Rui Madeira em 1996), aquando da greve dos pilotos oficiais, em virtude do brutal acidente que Joaquim Santos sofreu na troço da Lagoa azul e que matou 12 espectadores. A foto retrata Joaquim Moutinho (co-pilotado por Edgar Fortes) nesse rali.

    segunda-feira, maio 02, 2005

    Será que se pode utilizar a expressão "Santa paciência"?

    |
    Quando pensamos, ás vezes, que o nosso estado é oficialmente laico, deparamo-nos com estas. Então admite-se que a Força Aérea vá de bom tom fazer o transporte de figurinhas religiosas, mais a mais representações legitimidadoras de um potencial embuste? Tudo isto decorre da inauguração do primeiro templo consagrado aos "pastorinhos" de Fátima em Alverca (terra que faz um Luis Filipe Vieira, também é capaz de semlhante atrocidade). Ao que parece, o edifício també tem o segundo maior carrilhão da Europa. E para que raio precisam de um carrilhão em Alverca? Para abafar o som dos comboios que passam?
    Nesta notícia, também deu para descobrir que o impagável João Seabra já passou de padre a cónego.
    Ao que parece, faltam dois milhões de euros para saldar a dívida de cosntrução da igreja. Será que o Estado vai entrar com algum dinheiro, depois de já ter entrado com os helicópteros para o transporte das estatuetas? Bem, se emprestaram o Falcon ao Policarpo para ele ir às exéquias do Carlinhos polaco e deram dinheiro para a nova basílica de Fátima, é de esperar tudo.
    É nestas alturas que gosto muito do Afonso Costa...

    |

    Automóvel do dia: Lancia Delta. Este grande carro foi o sustentáculo da Lancia nos anos 80, muito por graças do sucesso que alcançou no mundo dos ralis entre 1985 e 1992 (cinco títulos mundiais de pilotos e seis titulos consecutivos de construtores). Uma segunda geração do meodelo foi apresentada em 1993, mas resumia-se a ser uma versão mal amanhada de dois volumes do Dedra. O verdadeiro Delta morreu nesse Salão de Genebra. O que está retratado na foto é o grande HF Turbo. Posso utilizar o adjectivo, já que tivemos um cá em casa e pode-se afinaçar a expressão popular "ganda máquina"!...

    |
    Piloto do dia: Bjorn Waldegaard. Este sueco foi o primeiro piloto de ralis a consagrar-se campeão mundial da modalidade, corria o ano de 1979, tripulando nessa época um Ford Escort RS1800 e um Mercedes 450 SLC (utilizado nas provas africanas). Waldegaard (n.1943) teve uma carreira longuíssima, conduzindo máquinas tão díspares como o Citroen SM (aquele que tinha motor Maserati), o Lancia Stratos, o Fiat 131 Abarth ou o Toyota Celica GT-4. Nesta foto, disputa o Rali Safari de 1987 (co-pilotado por Fred Gallagher), onde viria a desitir com problemas de motor. Depois de ter encerrado a sua carreira nos ralis, ainda disputou alguns Paris-Dakar ao serviço da Peugeot e Citroen. Actualmente, Bjorn Waldegaard ainda faz uma "perninha" em eventos como a "Corrida dos Campeões" no sector destinado aos veteranos.

    domingo, maio 01, 2005

    1 de Maio

    |
    Hoje é dia do trabalhador. Logo, hoje não fiz a ponta dum c*rno. Também é dia da mãe. Mas como gosto da minha mãe todos os dias do ano, não lhe comprei nada nem lhe mencionei o dia. E passaria incólume, se não fosse o programa do m*rdas do Daniel Oliveira (o Carlos Dias da Silva da RTP, mas com um elevado tom catequista) a falar sobre o dito dia, e o meu graxas do meu irmão a ligar para casa, mencionado o facto.
    Faz também 11 anos que Ayrton Senna da Silva teve o seu despiste fatal na curva Tamburello do circuito italiano de Imola, palco do GP de San Marino de F1. Pode-se dizer que actuou como um mártir em prol da segurança na F1, que morreu como um herói ou que teve um grande azar. O que realmente fica é a memória de um dos maiores pilotos de sempre, e de várias demonstrações de talento. O brasileiro ainda tinha mais 2/3 anos de competetividade à sua frente. As batalhas épicas que se perderam com Michael Schumacher. Que nos lembremos sempre de Mónaco'84, Portugal'85, Portugal'89, Japão'89, Japão'90, Mónaco'92, Europa'93, e outros GP's onde o brasileiro deixou a sua marca.

    |

    Automóvel do dia: Peugeot 205. O grande balão da oxigénio da Peugeot, quer a nível comercial, quer a nível desportivo, que ajudou a marca de Sochaux a estabelecer uma melhor relação com o mundo automóvel. Não é à toa que foi produzido durante 10 anos (1984-1994). Célebres também ficaram as prestações desportivas da mítica versão T16, que conquistou dois títulos mundias de ralis (Timo Salonen em 1985 e Juha Kankkunen em 1986) e dois Paris-Dakar (Ari Vatanen em 1987 e Juha Kankkunen em 1988). Nota nostálgico-lágrimaaocantodoolho-ocarroactualgastamais: o meu primeiro carro foi um 205 Junior.

    |

    Piloto do dia: Geoff Lees. Este britânico (que completa hoje 54 anos de idade) cometeu proeza de, nos 5 GP's que disputou, ter alinhado com 5 equipas diferentes. A foto retrata-o no seu 1º GP (Alemanha 1979) ao volante de um Tyrrell 009/Ford. Seguiram-se ainda, até 1982, mais quatro GP's, disputados em máquinas tão díspares como o Shadow DN11/Ford (que Lees considera ter sido o pior carro que alguma vez guiou), o Ensign N180/Ford, o Theodore TY02/Ford e o Lotus 91/Ford (aqui subsituindo Nigel Mansell, que se tinha lesionado num braço, no GP anterior). Nas suas 9 não-qualificações para GP, encontram-se também o Ensign N177/Ford da Mario Dellioti Racing (Inglaterra 1978) e o Williams FW07B/Ford da equipa RAM. Depois da F1, Geoff Lees dedicou-se à F2 e à F3000 japonesa, tornando-se piloto de testes do projecto de F1 da Honda em 1987. Lees viria a construir uma grande reputação, sendo o seu nome sobretudo associado à Toyota, mercê da sua participação com os carros de Grupo C da marca japonesa no Mundial de Sport-Protótipos e nas 24 Horas de Le Mans (6º em 1990). Retirou-se da comeptição em 2000.

    This page is powered by Blogger. Isn't yours?

    Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com