segunda-feira, outubro 31, 2005

The 1st Água em Pó Party!

|
É verdade, sim senhor. Este blog também irá propocionar uma noite de rambóiagem ao som de boa música, neste caso particular, a todos os que se dignarem a comparecer no Bar 13 (o das moças holandesas), em Alvor, na próxima sexta-feira, a partir das 22.30! E ao contrário das festas dos QF, nestas não se controla a entrada (democracia e populismo acima de tudo, pá)! Àqueles que estiverem na zona, apareçam!!!

P.S. - Phil Cólicas, Mandona, Britnei Spita, Rímon, Sil e outras bodegas que passem na Comercial, RFM ou RCP, não irão ter direito a airplay. Só se o DJ estiver deveras alcoolizado ou sob o efeito de outras susbtâncias alucinogénicas (o que não vai acontecer, porque ele irá prezar a boa música acima de tudo).


É de países assim-assim...

|
... pensar-se que, ao ser-se detentor de automóvel alemão, é se logo detentor de algum status. E claro, Portugal é um grande case study para a coisa.

É terceiro mundista...

|
... um gajo pensar que, ao ter um Mercedes, tem logo um status do caraças. Também se passa em Portugal.

quinta-feira, outubro 27, 2005

Se o Chico pode, eu também posso

|
Eu também tenho capas de disco medonhas!

quarta-feira, outubro 26, 2005

Drama nacional

|
Vide a linda farsa que Lígia Pinter Paz escreveu.

terça-feira, outubro 25, 2005

As vantagens dos aniversários

|

segunda-feira, outubro 24, 2005

Hipotético exercício de auto-complacência

|
Hoje faço anos.

sexta-feira, outubro 21, 2005

F1 2005 I - Comece-se pelas despedidas

|
2005 será recordado como a última época em que as equipas Sauber, BAR e Minardi disputaram GPs. Estas 3 escuderias foram adquiridas respectivamente por BMW, Honda e Red Bull.

Esta atitude por parte destas companhias vem demonstrar que a F1 da era dos "montadores", das equipas independentes tem os dias mais que contados, só restando a Jordan (que também vai dar lugar á sensaborona Midland) como equipa realmente independente. A tendência actual é para que construtores de automóveis e grandes companhias como a Red Bull sejam o motor da F1, o que vai provocar o crescendo de atrios existente entre a maioria das equipas e os corpos dirigentes do Formula One Group e da FIA. A F1 actual está organizada com base no rescaldo da guerra FISA/FOCA do início dos anos 80. Os actuais detentores do poder institucional vêm dessa época. À altura, Bernie Ecclestone era o presidente da FOCA (a associação das equipas), sendo coadjuvado por Max Mosley. Ora, hoje em dia, os pressupostos que norteiam a distribuição dos ganhos da F1, estão completamente ultrapassados, com as equipas a exigirem (justamente) uma maior parte do bolo. Devido a esta pretensão, BMW, Mercedes, Renault, Honda e Toyota uniram-se no sentido de pressionar a FIA e Ecclestone nesse sentido. Ao longo deste ano, assistimos a alguns episódios dessa luta, começando logo pela tomada de posição de Paul Stoddart, o chefe da Minardi, a querer fazer alinhar os seus carros segundo as regras de 2004 no GP da Austrália, resultando numa telenovela legal que só serviu para denegrir a imagem da F1. Do lado da FIA só se encontram Ferrari (que necessita deste tipo de gorjetas, já que o grupo Fiat não vive num grande momento de fulgor), Red Bull (agora com duas equipas) e a Midland, ou seja, equipas que não têm o poderio dos grandes construtores, mas que basicamente, servirão só de veículo às ideias tresloucadas do Sr. Mosley, esse assassino do desporto automóvel.

Mas voltando às despedidas, dos que partem, a equipa que me deixa mais saudades é a Minardi. Imaginem um paraplégico que viva em Alfama, movendo-se numa cadeira de rodas com 15 anos de idade, nunca tendo mudado os pneus. Assim foram os 20 anos da Minardi na F1: uma permanente luta de sobrevivência, sempre com parcos meios. Convém lembrar que 3 dos 6 portugueses que conduziram F1s (competições de históricos não conta) conduziram Minardis (Pedro Lamy em GPs e João Barbosa e Tiago Monteiro a testarem as máquinas de Faenza (porque é que temos de meter sempre os portugueses ao barulho??). A partir do próximo ano, ir-se-á denominar Toro Rosso, e deverá contar como pilotos, o italiano Vitantonio Liuzzi e o americano Scott Speed (a confirmar).

Quanto à Sauber e à BAR, foram duas equipas com um menor carisma que a escuderia italiana, embora a Sauber também me deixe alguma saudade, pelo espírito de competição e fair-play sempre mostrado por Peter Sauber, fazendo sempre uma abordagem realista da sua participação no Mundial de F1, não afundando a sua equipa como o fez Eddie Jordan. Apesar de toda a diferença monetária, julgo que a BMW irá manter o mesmo espírito.

Já a BAR nunca conseguiu uma grande legião de fãs, já que sempre foi uma equipa a qual nunca faltou mundos e fundos, criada a partir da compra da histórica Tyrrell, servindo de veículo à aspirações de Craig Pollock, que conseguiu arrastar para a equipa Jacques Villeneuve. Esta jogada foi a pior coisa que lhes aconteceu nas suas carreiras... A sorte da BAR começa a mudar quando David Richards é colocado pela BAT ( a proprietária da equipa) na gestão da equipa, sendo afastado Pollock, e contrata Jenson Button para alinhar ao lado de Villeneuve. A partir daí, a curva de evolução da escuderia sediada em Brackley foi notória, culminando na excepcional época de 2004, onde Button contabilizou uma série de pódiuns e Takuma Sato estreiou-se no planque das taças, ao fazer 3º no GP dos EUA. Chega agora ao fim, depois da legislação anti-tabaco ter atacado de forma veemente a F1, não se justificando para a BAT manter semelhante esforço, vendendo a equipa à Honda, intíma parceira desde 2000. Um obrigado a estas equipas por terem animado as grelhas de F1 nos ultimos 20, 12 e 6 anos, respectivamente.


quinta-feira, outubro 20, 2005

O totó e o tolo

|
Encontraram-se hoje.

terça-feira, outubro 18, 2005

Mentes de Terceiro Mundo?

|
Para complementar um recente post da camarada Lígia, eis mais uma notícia "abonatória" para o governo do Sri Lanka. Valerá à pena um gajo se dar ao trabalho para ajudar, neste caso?

F1 2005 - Preâmbulo

|
Só para avisar que nos próximos tempos irão aparecer uma série de posts dedicados ao rescaldo da época finda do Mundial de F1. Destque para Fernando Alonso, Kimi Raikkonen, Tiago Monteiro, Michael Schumacher, a ascenção dos construtores, trocas de pilotos e previsão para a próxima época, entre outras temáticas.

segunda-feira, outubro 17, 2005

Despachem-se, antes que os gajos reparem o erro!

|
1 - Vão ao Google.com (não o .pt, mas o .com) 2 - Escrevam a palavra Failure 3- Cliquem I'm feeling lucky 4 - E depois passem cá para comentar...

O grande derby da semana (Seita style)

|
Portimonense 1 - Desportivo de Chaves 0

A frase do mês

|
"Toda a gente sabe que as opiniões são como as bond-girls: cada um tem a sua."

sexta-feira, outubro 14, 2005

Ignorantes!!!!!

|
Já ontem ou anteontem, algures na blogosfera, tinha reparado numa menção a uma lista dos albuns mais sobrevalorizados da história do rock, realizada por sondagem pela BBC 6. Como continha alguns dados chocantes, decidi ir agora à procura da dita cuja.
E essa lista prova que os ouvintes e cibernautas que passam pela BBC 6 são burros. Tudo bem que o X&Y dos Coldplay seja sobrevalorizado. Todos os albúns da banda do Chris "Totó" Martin o são. O "The Joshua Tree" dos U2 também. Os U2 nunca foram geniais. Os Oasis não fizeram nada de novo com o "Definetly maybe". Até o "Never mind the bollocks", albúm da minha predilecção, é algo sobrevalorizado (musicalmente não acrescenta nada ao que Ramones, Damned e afins tinham feito anteriormente).

Mas, dizer que, portentos musicais como o "Nevermind " dos Nirvana, o "OK Computer" dos Radiohead e o "The Queen is dead" dos Smiths, são overrated, é a prova de que a malta que participou na sondagem, só deve ouvir Lost Prophets, Charlotte Church, Maroon 5 e afins! Para eles a noção de génio musical é encarnada no hediondo Phil Collins. O zénite dos seus tempos livres deve ser insultar os esquilos de St. James Park, comendo sandes de pickles feitas com pão do Tesco ou do Sainsbury (quem já comeu pão destas cadeias de distribuição sabe do que estou a falar!) ao mesmo tempo!

E eu que pensava que a Inglaterra era um país desenvolvido!

quarta-feira, outubro 12, 2005

Vi esta há pouco

|
If you woke up feeling Sleepy and Grumpy, then you are Snow White.

terça-feira, outubro 11, 2005

As maravilhas que se encontram numa bomba de gasolina

|
No domingo passado, quando fui pôr gasolina no bólide, reparei na vetusta montra de CD's, decadente como em uqalquer bomba de gasolina que se preze. Contudo, prestei-lhe maior atenção, depois de ver que o preço para todos os CD's era de 9 euros (uma pechincha é uma pechincha). E foi então que deparei com este "Live at Max's Kansas City" dos Velvet Underground. Não com o line-up mais "típico" dos Velvet (John Cale tinha já saído há uns 2 anos e Maureen Tucker estava com "licença de parto"), ainda assim é uma pequena pérola que comprova ao vivo, a qualidade de clássicos como "Sunday morning" ou "Sweet Jane". Falta "Heroin", mas é o próprio Lou Reed que anuncia ao público que "we don't play Heroin anymore". O som propriamente dito não é grande coisa, mas se formos a ver, muitas vezes saciamo-nos com uma boa bifana, em vez de alguma requintada e elaborada vichy-soise...

P.S. - Como se pode depreender, comprei o CD. De resto, tirando dois da Amália, não tinham mais nada de jeito (Estava lá um do Phil Collins!! Brr!!! Que medo!!)


segunda-feira, outubro 10, 2005

As autárquicas vistas por um esquerdista, benfiquista e ferrarista

|
Ontem foi um dia castiço, como qualquer dia de acto eleitoral. Até ia borrando a pintura, ao ir votar à última da hora, mas lá consegui exercer o meu direito de cidadão (ai que bonito). mas o giro disto tudo é a seguir ao encerramento das urnas. E ontem, mais uma vez, deu para um gajo rir, revoltar-se, pasmar-se entre outros espasmos nervosos, que uma noite eleitoral pode proporcionar. A 3 níveis, eis o que achei:

Local

Cá no burgo portimonense, a vitória foi mais uma vez parar ao PS. Aliás, como costuma dizer uma amiga minha, se um cão com esgana se candidatasse à CM, ganharia, desde que fosse cabeça-de-lista pelo PS... Pela segunda ou terceira vez consecutiva, alcançam a maioria absoluta, apesar de terem tido uma redução de 8% nas intenções de voto. Só que, com o PSD (em coligação com CDS, MPT e PPM), que é a principal força de oposição, a reduzir a sua votação de 28 para 23%, Manuel da Luz & Friends tiveram direito a mais quatro anos de folgazeira administrativa. No entanto, as coisas não foram tão lineares na corrida à Assembleia, com a relação a ser de 9 lugares para 7, em favor dos socialistas (será que o povo não vai muito à bola com Isilda Gomes?). Nota positiva para a esquerda concelhia, com a CDU a subir 3% e a voltar a colocar um vereador (Rui Sacramento) no executivo, forçando a saída de um dos membros da coligação de direita, e o BE a subir 6% e colocar pela primeira vez deputados (2) na Assembleia Municipal. Uma última nota para os fraquíssimos resultados da farsa que constituiu o grupo de "independentes" A Solução Para Portimão, cujo zénite foi a eleição de Pedro "Yeti" Pescadinha para a Assembleia Municipal. O resultado destes gajos foi tão residual, que deve ter-se tornado a único motivo para a direcção da concelhia do PSD para rir (algo estranho, tendo em conta que o Pedro Martins, o chefe, demitiu-se do cargo...) ...

Regional

Pelo Algarve, o panorama continuou mais ou menos o mesmo. Aljezur continua a ser um feudo de Manuel Marreiros (PS indy), G. Repolho V. (PSD) manteve-se em Vila do Bispo, Júlio Barroso (PS) venceu a ameaça do boçal Valentim Rosado (PSD) e ainda conseguiu aumentar a percentagem de votos em relação a 2001 (onde tinha ganho ao Valentim por 100 votos), Portimão já foi dito em cima, Monchique continua a ser o quintal do Tuta (PS), Lagoa continua sob os auspícios do PSD, embora o PS tenha se chegado perigosamente aos seus calcanhares, dominando agora a Assembleia Municipal.
Em Silves, na batalha das donas de casa, Isabel (PSD) ganhou à Lisete (PS), cimentando a sua anterior liderança. Em Albufeira, Desidério Silva (PSD) deu uma banhada brutal ao PS, ganhando com 61% dos votos e a conquistar o bastião socialista da Guia. Loulé confirmou o bom trabalho de Seruca Emídio (PSD), em S. Brás, António Eusébio (PS) obteve uma boa vitória, em Olhão, Francisco Leal (PS) venceu de olhos fechados sobre Nana Mouskouri (Isabel Luz, do PSD). De referir que esta senhora, numa acção de campanha pelo bairro dos pescadores olhanense, foi distribuir cavalas por entre as pessoas. Os pescadores mandaram-na à fava...
Em Tavira, Macário continua de pedra e cal, tal como Francisco Amaral em Alcoutim e José Estevens em Castro Marim, todos eles do partido do Cavaco.
E perguntam-me vocês: então Vila Real de Santo António e Faro, pá? Pois bem, uma semi-surpresa foi a vitória de Luis Gomes (PSD) na cidade pombalina, vencendo o presidente cessante (o socialista Murta, o autarca mais barraquento do Algarve) e a forte candidatura da CDU.
Depois tivemos a mudança de partido em Faro, com o mal-amado Vitorino a ser substituído pelo socialista José Apolinário, depois de quatro anos de alguns atritos e questiúnculas com a população farense (sobretudo no que diz respeito ao S.C. Farense).
Ou seja, o Algarve continua maioritariamente laranja (o que não é lá muito, mas prontos...)

Nacional

Pelo país fora, o PSD manteve um maior número de autarquias por todo o país, ganhando novas sedes de distrito através das vitórias em Santarém (através do mediático Moita Flores) e Aveiro (a vitória mais surpreendente da noite), e mantendo as cruciais Lisboa e Porto. E neste caso o PS, só tem é de se recriminar, ao apresentar candidatos execráveis como Carrilho e Assis. Jorge Coelho é o principal responsável pelo semi-desastre eleitoral do PS, já que não ocupava mais nenhumas funções, senão as de coordenador autárquico do partido.
A CDU foi uma das boas surpresas da noite pois, mesmo perdendo Estremoz, Redondo e Alcácer do Sal (aqui devido ao infeliz orgulho anti-renovador), conseguiu recuperar bastiões como o Barreiro ou a Marinha Grande, vencendo em Sesimbra e Peniche, além de manter, entre outras, Beja e Setúbal.
Por fim uma palavra para Imelda Marcos, Augusto Pinochet e Sekou Touré. Mesmo na eminência de ser presa por mais do que evidente corrupção, Imelda Marcos conseguiu maioria absoluta no oitocentista concelho de Felgueiras. Semelhente feito conseguiu o belicoso Augusto "foda-se" Pinochet em Gondomar e o popularucho Sekou Touré em Oeiras. E nós, olhando semelhante espectáculo... Infelizmente vivemos na era do "É disto que o meu povo gosta".

Bem, daqui a quatro anos, já José Sá Fernandes meteu um processo a Carmona Rodrigues devido a ter entrado com o pé esquerdo nos paços do concelho, Rui Rio ficou ferido numa perna, depois de um acidente numa volta ao volante de um F1 de 1965, no Porto Historic Festival de 2006, Isabel Damasceno é presa por ter ido para a cama com Jacinto Paixão, Valentim Loureiro morreu vítima de uma apoplexia quando o filho (sim, o João) revelou que era gay, Fátima Felgueiras foi substiuída pela sua filha Sandra, Alberto João Jardim mandou matar os 6% que votaram na CDU em Câmara de Lobos e Fernando Seara decidiu transferir a sede de concelho de Sintra para o Shopping Center de Massamá. Vão já pensando no vosso sentido de voto!


domingo, outubro 09, 2005

Demolidor!

|
Kimi Raikkonen conseguiu, no começo desta manhã, no circuito japonês de Suzuka, a maior vitória da sua carreira. Só planeava falar de F1 depois do GP da China, para fazer um balanço da temporada, mas não podia deixar de vir mostrar o meu queixo caído virtual (por ser virtual, é mesmo suposto vocês não o verem...), depois da brilhante prova do vice-campeão! Alonso também fez uma grande corrida, ultrapssando mestre Schumacher à entrada da 130R e por fora (para quem não sabe, a 130R é uma das curvas onde é preciso ter "tomates" para fazê-la a fundo), entre outras peripécias mais.

Valeu mesmo a pena acordar às 05.50!!!


Chiça

|
Ok, o post que eu estava a escrever não era nada de especial, mas perdê-lo graças à EDP é que lixa um gajo pá!

É recorrente. Sempre que chove, os cabos que abastecem a zona rural onde vivo não aguentam as micro-bátegas, e desatam a falhar! Com isso, cá por casa já foram à vida a antiga aparelhagem, o vídeo, a TV da sala e a TV da cozinha! E o mítico Pentium II (onde começou este blog) ficou com a fonte de alimentação almariada. Mas se um gajo telefona para a EDP, estes dizem que não é nada com eles!

Iberdrola, quando chegas?

quinta-feira, outubro 06, 2005

As autárquicas

|
Nos últimos dias, quer no espaço dos meios de comunicação social, quer pelas ruas e estradas, temos sido bombardeados pelas notícios, factos, eventos e propaganda das várias forças concorrentes às vindouras eleições autárquicas. O que é chato.
E é chato porquê?
Porque, para começar, reparamos nos chamados forcings finais para completar obra, pelos actuais mandatários do poder local espalhados pelo país fora (à pala disso, já tenho os 2 km de acesso à minha casa asfaltados...), e desejamos que houvesse eleições todos anos. Pelo menos assim coisas eram feitas.
Depois, se repararmos nas estações de televisão e rádio (as nacionais), o destque vai sempre para as figuras gradas dos principais partidos portugueses, em caravana pelo país dando "alento" aos diversos candidatos que patrocinam, chegando ao ponto do primeiro-ministro andar ao meio do barulho, confundido os dois papéis. Aliás, o PS não tem nenhuma necessidade de andar a pavonear Sócrates, já que o principal estratega destas eleiçõe, é também a maior figura do PS, em termos de acção, o impagável Jorge "Camionsta" Coelho. Melhor ainda, o primeiro-ministro não interrompeu as tão propaldas férias no Quénia, quando em Portugal lavravam incêndios que devastavam o cada vez mais diminuto património florestal. Mas consegue apertar na sua agenda, umas idas a uns quantos concelhos do país para ir botar palavra e posar junto do candidatos dessas localidades.
Outra coisa que me chateia um pouco, são as listas de independentes. É que de independentes têm pouco, e concorrem para garantir os seus interesses e promover todo o populismo inerente às suas candidaturas caciquentas (Isaltino em Oeiras, Fátinha em Felgueiras e, em menor escala, Paulo Reis em Portimão). E quando são "independentes" mas concorrem com um apoio de um partido, já isso deixa muita suspeição no ar (aqui remete-se para José Vitorino e a cidade de Faro).
A título mais regional, ainda não ouvi nenhum dos candidatos do PS ou PSD às autarquias algarvias, anunciar medidas de restrição à construção, requalificações do espaço urbano e criação de mais espaços verdes. Quando tiverem os tomates (ou ovários, dependendo do caso) para tal, então contarão com o meu voto.
Aliás, eu no domingo só vou votar porque ainda acalento a esperança de chegar à presidência da república e proclamar a independência do Algarve...

segunda-feira, outubro 03, 2005

Tirem-me deste filme

|
Quer dizer, venho a abrir de Faro, ao volante de um carro que já conta 4 anos ao serviço de uma rent-a-car (o que é muito), para conseguir estar na formação a horas. Desunhei-me na Via do Infante, não tenho de tempo de ir buscar o meu carro com o material de aula lá dentro, e chego à sala de aula, deparando-me, não como mexer em Frontpage e Dreamweaver, mas uma aula de "sócio-cultural" sobre a dicotomia social homem/mulher. Ou seja, uma discussão sem fundo, afogueada por clichés dados pela formadora, como "Se uma mulher ganha mais que o marido pode afectar a estabilidade conjugal" ou "A intuição das mulheres é superior à dos homens".

Foda-se, tirem deste filme...


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com